Greatest Hits

Greatest Hits
Tele-jogo, o videogame de uma geração

Greatest Hits

Greatest Hits
Coletânea de sucessos de uma fita Basf

Greatest Hits

Greatest Hits
O Rockeiros Nacionais também envelheceram

Greatest Hits

Greatest Hits
IoIô da Coca-Cola

Tele-jogo, o videogame de uma geração

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

post-132580-1240066647

Telejogo foi um aparelho de videogame simples, consistia basicamente de traços que subiam ou desciam para rebater um quadrado (bola), o controle era feito através de um dial (como o sintonizador de rádio). No Brasil ele foi comercializado em 1977 pela Philco/ Ford. (Wikipédia)

 

Numa época em que jogos eletrônicos só era possível nos filmes de ficção, ter um telejogo era privilégio dos mais abastados financeiramente.

 

De uma simplicidade impar, que faria a infância atual se deleitar em deboche, possuía comandos no próprio aparelho, mas não deixava de ser novidade para uma infância órfão de inovações tecnológicas. Tive o privilégio de brincar neste jogo que esbanjava modernidade.

 

tele jogo

Sessão Nostalgia: O pequeno 14 da Philco

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Alguns comerciais de tv, por mais toscos que sejam, acabam ficando gravados na nossa memória. Um exemplo clássico de comercial que ficou perpetuado é esse da Philco, quando do lançamento do conjunto TV/VCR, vale a pena relembrar.

 

O fim do Walkman e as boas lembranças de sua existência

terça-feira, 26 de outubro de 2010

30-anios-del-walkman-sony

A Sony anunciou nesta segunda-feira (25) que não venderá mais Walkman para fitas cassete no Japão, 31 anos depois do lançamento do produto que modificou a vida cotidiana dos japoneses. (G1)

 

E de repente chega a notícia que a Sony não produzirá mais o afamado Walkman.  A bem da verdade, o Walkman, ultimamente era uma acessório difícil de ser ver. Lembro que essa belezura foi uma febre nos anos 80 e 90. Tinha um colega na minha classe no curso de Técnico em Contabilidade, que tinha uma aparelhos desses porém da marca Broksonic (foto abaixo).

 

img112738r

 

Além de todas as funções de um walkman, esse modelo ainda gravava e tinha uma equalizador gráfico de 5 bandas que deixava o som da fita Basf algo indescritível.

 

Obviamente que minha condição financeira exígua, só me permitia sonhar com esse aparelho e de vez em quando escutar alguns sucessos enquanto cabulava as aulas de direito do intragável professor “G”.

 

Certo é que o anúncio do fim da produção do Walkman irá causar uma onda de saudosismo em todos que conviveram com os encantos deste aparelho que marcou uma geração.

Fiuk “canta” sucesso de Fábio Jr.? Ops, errei…

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Parece que a capacidade criativa dos compositores brasileiros anda em baixa. Excetuando alguns sertanejos que tentam produzir alguma coisa inédita. A maioria dos artistas da música estão preferindo a comodidade das regravações do que a aventura incerta de emplacar um sucesso inédito.

 

Dia desses, assistindo, por acidente, o programa Caldeirão do Hulk, que exibia em um de seus quadros um filho fazendo uma homenagem ao pai, bem ao estilo Fiuk/Fábio Jr. ocorrido também recentemente no Domingão do Faustão. Me deparei com uma situação no mínimo esdrúxula.

 

Após o término da exibição circense, eis que surge o tal Fiuk para julgar se de fato a performance merecia abocanhar o prêmio prometido. Obviamente que ele não só aprovou como também louvou o “espetáculo”.

 

Terminada a sessão emotiva, o tal Fiuk foi convidado a se apresentar, juntamente com sua banda. Detalhes a parte dessa apresentação, que nem merece comentários mais apurados, cheguei a conclusão que o grande cartaz ostentado pelo rapaz junto à mídia, deve-se totalmente e tão somente à sombra do pai.

 

Entrando no assunto tema desse post, o que me chamou a atenção foi que a pedido do apresentador Luciano Hulk para que cantasse um música do seu pai, ele de pronto emendou com a música Só Você. Nada anormal se não fosse por um detalhe que somente os oitentistas devem ter notado.

 

Apesar do Fábio Jr. ter interpretado essa música durante muito tempo, quem de fato brilhou e muito, diga-se de passagem, com essa melodia, foi Vinícius Cantuária no início dos anos 80.

 

Sobre Vinícius Cantuária a Wikipédia pode auxiliar os menos favorecidos: nascido em Manaus, no dia 29 de abril de 1951, é um cantor e compositor brasileiro.

 

Na década de 70, integrou a banda de rock progressivo O Terço. Entre suas composições, a mais famosa é Só você, da primeira metade dos anos 80 e que depois foi gravada por vários artistas, como Fábio Júnior e Fagner. Outro sucesso seu é do início da mesma década: Lua e Estrela, gravada na voz de Caetano Veloso, de cuja banda de turnê, a Outra Banda da Terra, fez parte. Essa música também foi gravada por Gilberto Gil em inglês em um disco seu para o mercado estado-unidense.

 

 

Ou seja, o tal Fiuk bem que poderia ter “cantado” algo produzido pelo pai, que já compôs alguns “hits”, mas preferiu se deitar nos braços da comodidade ou da desinformação não sei, para agradar o público.

Coletânea de sucessos de uma fita Basf

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

basf_lh_60_orange

Os sobreviventes dos anos 80 devem se lembrar com nostalgia das famosas fitas Basf. Já que a mesma era presença obrigatória na casa ou no carro dos amantes da boa música. Normalmente o repertório era gravado de uma rádio FM, que sempre cometia o sacrilégio de soltar uma vinheta no meio da música, para desgraça de todos.

 

Sinônimo de qualidade, as fitas K-7 de música e vídeo popularizaram a BASF no Brasil e no mundo, mas pertencem ao passado. A multinacional alemã atua hoje em várias áreas, mas nenhum produto leva sua marca.

 

Um cidadão de mais posse tinha o privilégio de possuir além de um super toca fitas portátil ou som automotivo Roadstar, para a inveja de muitos.

 

img img2

 

Eu possuía uma coleção desse produto, que sempre usava nas minhas desventuras como discotecário em alguns clubes da região. Uma pena eu não ter tido o cuidado necessário para guardar algumas como lembrança dessa época de ouro.

O Rockeiros Nacionais também envelheceram

terça-feira, 13 de julho de 2010

Dias atrás recebi um link do twitter, não me lembro a origem, que achei super interessante, mostrava fotos antigas e atuais de rockeiros internacionais. Fiquei impressionado em ver como estas pessoas mudaram no decorrer dos anos, por isso resolvi fazer um post semelhante porém com cantores conhecidos do rock tupiniquim.

 

Lobão da Banda Lobão e os Ronaldos

20040913-lobao lobao2


Léo Jaime

leojaime Leo Jaime2

 

Paula Toller do Kid Abelha

PaulaToller2 paula_toller

 

Paulo Ricardo do RPM

pauloricardo86 paulo_ricardo2

 

Supla do Tokio

Supla (1991) Supla 2 Supla 2

 

Roger do Ultraje a Rigor

ultrage-a-rigor Roger2

 

Ritchie

Ritchie1 Ritchie2

 

Evandro Mesquita da Blitz

Evandro Mesquita Evandro Mesquita2

 

Bruno Gouveia do Biquini Cavadão

BRUNO (57) BRUNO2

Eu era fã do desenho O Pirata do Espaço

terça-feira, 6 de julho de 2010

O programa Clube da Criança estreou no dia 6 de junho de 1983 na Tv Manchete, com a modelo Xuxa à frente da atração. No início, Xuxa resistiu em aceitar o convite, feito a ela em 1983, e Maurício Sarman Gase estava de olho em sua segunda opção, Monique Evans, mas por fim Xuxa acabou fechando contrato com a extinta emissora.

 

O Clube da Criança tinha um cenário colorido, brincadeiras de palco, atrações musicais e a apresentação de desenhos animados, em sua maior parte da Hanna-Barbera, entre os quais se destacaram: Pirata do Espaço, A Corrida Maluca, Candy Candy e DarTagnan e Os Três Mosqueteiros. Essa fórmula viria a ser excessivamente copiada ao longo dos anos.

 

Dentre todos os desenho citados acima, o que mais marcou minha geração, sem sombra de dúvidas, foi O Pirata do Espaço, o desenho, que fez um enorme sucesso por aqui, contava de modo grandioso as batalhas em defesa da Terra travadas por Joe e Rita dentro da nave de combate Pirata do Espaço lutando contra os terríveis robôs-bomba do Império Gailar que era comandado pelo tirano imperador Geldon no seu desejo de conquistar o Mundo.

 

Tenho uma frustação enorme desse período da minha infância, por nunca ter conseguido fazer uma desenho legal do Pirata do Espaço, admito que nunca fui um bom desenhista, por isso ficava invejado quando algum colega aparecia na escola com o caderno ilustrado por esse personagem.

 

Fonte: http://www.infantv.com.br/clubecrianca.htm

 

Quem se lembra do Araken o showman?

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Depois do fiasco de 82 onde todos dava como certa o tetracampeonato, por causa da constelação de craques, liderados por Telê Santana. Nossas esperanças se renovarão no ano de 86, com alguns jogadores remanescentes do esquadrão de 82.

 

Umas das coisas mais divertidas pós-jogo, era os vídeos divertidos, do personagem Araken, sempre zuando as seleções derrotadas pelo Brasil.

 

O vídeo abaixo era pra ter sido exibido caso o Brasil tivesse ganhado da França, naquele fatídico jogo que Zico perdera um pênalti, defendido pelo goleiro Bats no tempo normal.

 

 

 

 

De 1983 a 1986, Araken, o Showman! era o personagem da Rede Globo que anunciava os programas da emissora. Interpretado pelo publicitário José Antonio de Barros Freire, mais conhecido como Barrinhos, Araken representava o brasileiro que não perde o otimismo por nada nesse mundo. Em encenações rápidas e divertidas, o baixinho de cabelos escuros tentava de mil maneiras vender suas idéias para os empresários, que o ignoravam. Sua última aparição foi na Copa do Mundo de 94 em uma propaganda de sapatos e em outra de imóveis.


À época, Barrinhos usou o sucesso do seu personagem para fazer campanhas para doação de sangue, recadastramento eleitoral e alfabetização.


Hoje, aos 54 anos, o documentarista mora no interior de São Paulo e trabalha com produção de vídeos de responsabilidade social e programas para televisão. O projeto mais recente é sobre música erudita e popular para jovens, que deverá ser exibido pela TV Cultura. Além dele, Barrinhos trabalha em um documentário sobre a Opera Yoruba, que será exibida na Nigéria, ao lado da professora da Unicamp Inaicyra Falcão. Fonte: (Uol)

O fiasco de 82 e as lições de uma copa

terça-feira, 15 de junho de 2010

Como estamos em clima de Copa do Mundo vamos lembrar um pouco da história do ludopédio, mais precisamente o Mundial de 1982, do qual nós brasileiros não temos boas lembranças.

 

Os saudosistas oitentistas tem motivos de sobra para relembrarem essa década maravilhosa, mas nem só de alegrias foram feitos esses anos dourados, tivemos também alguns dissabores e o maior deles, sem dúvidas, foi a tragédia do Estádio do Sarriá.

 

Na ocasião estava com 10 anos e lembro perfeitamente da decepção ocasionada pela eliminação da seleção brasileira, naquela tarde fatídica, e um nome marcou definitivamente e de forma trágica, a mente de muitos brasileiros por décadas: Paolo Rossi.

 

Mesmo muito novo, não esqueço jamais da cena da minha rua toda enfeitada e as pessoas em prantos na rua, talvez lamentando o fim da única alegria de um país dominado pela ditadura, inflação exorbitante e mazelas sociais.

 

Com um elenco repleto de craques como Zico, Falcão, Sócrates, Éder e Júnior, provavelmente, depois de 70,  foi a seleção que chegou a uma copa com maiores chances de conquista.

 

Nesta edição, a equipe dirigida por Telê Santana era tida como a grande favorita à conquista do título, mas a equipe canarinha acabou eliminada pela Itália, que depois de uma campanha pífia na primeira fase (empates contra Polônia, Peru e Camarões - tendo se classificado graças ao número de gols marcados, deslanchou a partir da etapa seguinte, até vencer a Alemanha na final.

 

Essa copa veio confirmar a velha máxima de que nem sempre vence o melhor. Infelizmente, por causa desse desfecho trágico, houve uma mudança radical no meio futebolístico, com a ascensão do futebol de resultados em detrimento ao futebol arte, talvez esse tenha sido o pior legado da copa de 82.

 

 

IoIô da Coca-Cola

terça-feira, 8 de junho de 2010

image_thumb[39]

Taí mais uma febre da molecada da década de 80. Esses apetrechos devem ter contribuído e muito para reinado absoluto da marca Coca-Cola, bem como para obesidade de muitos. Sem contar, é claro, o terror para os pais, pois nenhum moleque poderia ficar sem o famigerado brinquedo da marca. Eu tive um da Fanta com a borda branca.

 

Segundo o Almanaque Anos 80, a febre começou em 1982 e era necessário juntar 5 tampinhas do refrigerante, mais 350 cruzeiros para trocar pelo modelo Profissional, com as laterais brancas, ou 420 cruzeiros, pelo modelo Super, de laterais transparentes e coloridas, o mais cobiçado.

 

Segundo a Wikipédia, o Ioiô é um dos brinquedos mais antigos que existe. É constituído de dois discos, geralmente de plástico, mas podendo ser também de madeira ou metal, unidos no centro por um eixo no qual prende-se uma corda. Deixando-se cair o ioiô, de certo modo ele sobe com o impulso, e a corda se enrola; deverá outra vez cair e subir, sucessivamente, até que termine o impulso inicial.

 

A história desse brinquedo é bem antiga e misteriosa. Não se sabe bem ao certo onde nasceu o ioiô, sendo cogitados como prováveis "berços" a Grécia, a China ou as Filipinas. Alguns ioiôs antigos foram encontrados na Grécia, datados de 2500 anos, utilizando blocos de barro ao invés dos discos. Nas Filipinas, os nativos utilizavam o ioiô como arma e instrumento de caça, sendo colocadas duas pedras no lugar dos discos e uma corda de até seis metros.

 

O ioiô, tal como conhecemos atualmente, surgiu nas Filipinas, onde é um brinquedo muito popular entre as crianças. A palavra "ioiô" vem do filipino, e quer dizer "volte aqui".

BMX pantera, meu sonho de consumo…

segunda-feira, 31 de maio de 2010

 

20090128-bmx_pantera

 

Esta belezura aí da foto  é nada mais nada menos do que a famosa BMX Pantera, o sonho de consumo de 11 entre 10 garotos da minha época. Não era de se estranhar pois pelos atributos elencados abaixo, ela possuía todo handicap, para figurar na lista dos itens mais desejados pela geração anos 80.

 

Estas bicicletas fizeram um sucesso tão grande, que hoje, passados mais de 20 anos, são consideradas verdadeiras bicicletas clássicas da indústria nacional.

 

Infelizmente, muitas destas bicicletas perderam-se, pois eram veículos feitos para agüentar pancadas, saltos, tombos, etc, mas nem sempre isto acontecia devido ao uso extremo.

 

A segunda edição das BMX recebeu o nome de Pantera e deixavam a garotada da época em delírio.

 

Freio a tambor: ineficiente na chuva

A parte mais excitante desta bicicleta era o freio, que realmente funcionava muito bem, desde que não estivesse molhada a lona ou o tambor.

 

A bicicleta não era tão refinadas quanto suas rivais da época como as Caloicross Extralight e Extranylon, pois ambas eram mais leves e melhor acabadas, principalmente a Light que tinha muitas partes importadas, mas aquele freio a tambor valia tudo o que as outras não tinham.

 

O Slogan para a época era o seguinte:
Monark BMX Pantera:
Você faz e acontece!

 

Fonte: Bikemagazine

3 versões musicais tupiniquins bestiais

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Acho que já virou uma praxe no Brasil a existência de versões tupiniquins para músicas mundialmente conhecidas, não podemos negar que existem versões que conseguem uma qualidade e sonoridade até superior a original, em compensação existem outras, com todo respeito, que são um ultraje a originalidade da obra. Citarei 3 que fizeram grande sucesso na década de 80.

 

Pasmem! O Supla já foi cantor…

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Somente os saudosistas dos anos 80, como eu, devem saber que o Supla, que atualmente comete o programa Brothers na Rede TV ao lado do irmão João Suplicy, foi vocalista de uma banda de enorme sucesso nos anos 80.

 

Tokyo foi uma banda surgida na década de 1980 no Brasil, mais precisamente em 1985, com um estilo pop-rock e que revelou o cantor punk-pop Supla e o produtor de MPB BiD (na época Bidi, guitarrista). A banda surgiu no auge do movimento denominado "Rock Brasil", em que se destacava nomes como Os Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Titãs, RPM, Kid Abelha, Ritchie, Blitz e outros.

 

O som do grupo, a maioria de composições próprias, era um rock classificado como básico, contendo influências new wave e com muita irreverência, tanto nas letras como nas performances no palco.

 

O primeiro sucesso foi a canção "Humanos", do disco homônimo. Na época a imprensa logo tratou de rotular a banda de os "punks de butique". Logo após surgiu Garota de Berlim, outro grande sucesso da banda e que contava com a participação da roqueira alemã Nina Hagen. Nesse mesmo disco, Cauby Peixoto participa de uma faixa denominada "Romântica".

 

Em 1987 o segundo disco, um rock mais puro, não atingiu o mesmo sucesso, culminando assim no fim da banda.

 

Fonte texto: Wikipédia

 

 

Músicas românticas nacionais inesquecíveis

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Fiz um post na semana passada enumerando algumas músicas internacionais românticas, porém não poderia deixar de citar algumas músicas no mesmo estilo, porém nacionais, que também fizeram igual sucesso nos bailes e nas rádios.

 

 

 

 

 

As inesquecíveis músicas lentas ou românticas

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Uma das características musicais mais marcantes da década de 80 eram as chamadas músicas românticas ou lentas.

 

Era praxe para todo frequentador das famosas e inesquecíveis “Horas Dançantes”, convidar a dama para bailar, no ritmo “dois pra lá, dois pra cá” de rostinho colado, quando o Discotecário tocava algumas dessas preciosidades que passo a elencar abaixo, valem o clique pois todas são maravilhosas:

 

 

 

 

 

6 Cantores e Bandas de 1 música só…

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Imagino que o sucesso musical deve ser uma coisa realmente muito difícil, iremos enumerar alguns exemplos de cantores e bandas dos anos 80 que conseguiram emplacar um sucesso estrondoso e depois caíram no anonimato.

 

Desireless

 

Nome artístico de Claudie Fritsch-Mentrop, (Paris, 25 de dezembro de 1952) é uma cantora francesa de origem checa. Entre 1986 e 1988, sua mais famosa canção Voyage Voyage" ficou no topo das paradas em praticamente todo o mundo, sendo um dos ícones dos anos oitenta.

 

 

Fine Young Cannibals

 

É um grupo musical britânico melhor conhecido pelos sucesso de 1989 "She Drives Me Crazy", do álbum The Raw and the Cooked. A cançãos alcançou o topo nas paradas de singles dos Estados Unidos e de alguns países.

 

 

Wax

 

Foi uma banda pop americano-britânica da década de 1980. Era composta pelo estadounidense Andrew Gold e pelo britânico Graham Gouldman. Os seu maior sucesso comercial foi a músicas "Right Between the Eyes" .

 

 

Baltimora

 

Foi um projeto musical italiano de italo disco da metade da década de 80, liderado por Jimmy McShane (1957-1995). Tornou-se mundialmente conhecida graças ao hit "Tarzan Boy". Esta música ficou muito conhecida no Brasil por ter sido trilha sonora de abertura do programa Perdidos na Noite, que Fausto Silva apresentava da Bandeirantes.

 

 

Laura Branigan

 

Nasceu em 3 de julho de 1957 em Brewster, no Condado de Putnam, estado de Nova Iorque.

Em 1984 lançou "Self Control", versão do italiano Raf, cujo vídeo, dirigido por William Friedkin, foi inicialmente banido da MTV por ser muito "sexualmente sugestivo".

 

 

Michael Cretu

 

É um músico e compositor romeno bastante conhecido devido a ter sido o criador e produtor do projecto musical Enigma, também conhecido como Curly M.C. (o seu apelido, Cretu, em romeno quer dizer "cabelo encaracolado").

Este trabalhou com inúmeros produtores, musicos e artistas ao longo da sua extensa carreira. Entre estes podemos incluir nomes como Sandra Cretu, Frank Farian, Boney M, Goombay Dance Band, Peter Cornelius, Manfred "Tissy" Thiers e Mike Oldfield nos seus tempos antes do projecto Enigma, e à posteriori e no decurso do projecto com Jens Gad, Frank Peterson, David Fairstein, ATB, Jam & Spoon, Peter Ries, Ruth-Ann Boyle e Andru Donalds.

Mas conhecido por suas atividades de produtor musical, conseguiu alcançar um grande sucesso na década de 80 com o single Samurai.

 

Cantores brasileiros internacionalizados

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Que os brasileiros adoram se aventurar pelo universo musical estrangeiro isso já é público e notório, o que muitos não sabem é que além de cantar em outro idioma, normalmente inglês, alguns cantores chegaram a adotar nomes estrangeiros. Essa prática foi adotada principalmente nos anos 70, veja se você conhece alguma dessas figuras?

 

      • Mark Davis
      • Morris Albert
      • Tony Stevens
      • Dom Elliot
      • Chrystian
      • Pholhas

 

Acredito que poucos saberiam dizer quem são as figuras acima, mas ficariam surpresos se eu dissesse que Mark Davis, é na verdade um nome estrangeiro usado por Fábio Jr. na decada de 70.

 

 

Morris Albert ou Maurício Alberto, ficou famoso no mundo inteiro por cantar Feelings que segundo consta, foi uma das músicas mais tocadas e regravadas de todos os tempos.

“Em 22 de dezembro de 1988, a música “Feelings” foi oficialmente declarada pela Suprema Corte da California nos EUA como plágio da música de 1956 “Pour Toi” composta pelo frances Loulou Gasté para o cantor Line Renaud.

 

 

Tony Stevens pode ser um desconhecido para muitos, mas Jessé quem emplacou diversos sucessos como Porto Solidão, muitos devem conhecer, e são, na verdade, a mesma pessoa. Fez grande sucesso com a música  If you could remember.

 

 

Dom Elliot e Christian, esses dois irmãos tinham esse nome na década de 70, cantavam em inglês e individualmente, hoje são conhecidos no universo da música sertaneja como Chrystian e Ralf.

 

 

Pholhas - A banda foi criada em 1969 com a seguinte formação: Helio Santisteban (teclado), Paulo Fernandes (bateria), Oswaldo Malagutti (baixo) e Wagner "Bitão" Benatti (guitarra), com os quatro se revezando nos vocais. Começaram fazendo covers de bandas dos EUA e Inglaterra e passaram a compor também em inglês.

 

 

Acharam interessante a informação? Pois saibam vocês que no início dos anos 90 com a febre musical chamada dance music, muitos brasileiros seguiram o caminho dos compatriotas acima e resolveram estrangeirar-se.

 

Corona é uma banda italiana que fez sucesso nos anos noventa cantando em inglês. A vocalista é a brasileira Olga de Souza (Rio de Janeiro, 16 de julho de 1968). Com seus singles "Rhythm of the night" conquistou as pistas nacionais e internacionais, antes da fama ela foi uma das dançarinas de palco do programa Domingão do Faustão e escriturária da Caixa Econômica Federal. Certo dia, entediada de sua vida como escriturária, resolveu se mudar para a Itália, depois que um amigo próximo lhe falou dos encantos e das possibilidades do país. Quando lá chegou, decidiu fazer uma mudança radical em sua vida ao começar uma carreira artística. Corona encontrou o produtor italiano Francesco Bontempi (também conhecido como "Checco"), que viu na moça a pessoa ideal para encabeçar um grupo musical. Corona na verdade foi um projeto criado por Bontempi (Lee Marrow), que escreveu e arranjou as músicas do grupo.

 

 

Sect - Gui Boratto é um DJ e produtor de música eletrônica brasileiro. Nascido em 1974 na cidade de São Paulo, começou sua carreira em 1993 no ramo publicitário. Entre 1994 e alcançando ao lado da vocalista Patrícia Coelho e Tchorta enorme sucesso com a banda de dance pop Sect. Desde 2005, passou a se dedicar às suas próprias composições e produções. Atualmente, ele comanda juntamente com seu irmão Tchorta uma gravadora independente chamada Mega Music.2004, realizou diversos trabalhos para várias gravadoras no Brasil e no mundo

 

 

Gabinete Calighari - a primeira música brasileira a invadir nossas pistas é feita no estilo de colagem do Bomb The Bass e faz referências desde o synthpop de Yaz até samba, e por mais estranha que possa parecer essa mistura, foi um sucesso. Estamos falando da dupla de produtores DJ Cuca e Ricardo Medrano, djs que já estavam envolvidos na cena nacional divulgando a house music, com o seu projeto Gabinete Caligari, com a faixa Pump Up The Bass, de 1989.

 

 

Aceito sugestões para complementação da lista.

 

Fontes: Wikipédia, Top Music Brasil, Youtube

A-ha fez shows de despedida no Brasil

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A banda norueguesa A-ha que despontou nos anos 80, com músicas como: "Take On Me", "The Sun Always Shines On TV", "Hunting High And Low", "Stay On These Roads", "You Are The One" e "Crying In The Rain",  esteve no Brasil no mês de março passado, para um série de shows em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 

A série de shows faz parte da turnê de despedida da banda que deve encerrar os trabalhos ao final do ano.

 

A banda é formada pelo vocalista Morten Harket, o guitarrista Paul Waaktaar-Savoy e o tecladista Magne Furuholmen.

 

Abaixo segue os clips de 2 dos seus maiores sucessos, Take On Me e Hunting High And Low: